Saiu na imprensa: “Se tivesse janela hoje, eu seria o primeiro a deixar o MDB”, revela Garibalde

O deputado estadual Garibalde Mendonça (MDB) deixou claro que a crise com a direção do MDB está longe de ser superada. “Se tivesse janela hoje, eu seria o primeiro a deixar o MDB”, revelou o deputado que está na agremiação desde 2002, quando disputou sua primeira reeleição. Na época ele trocou o PDT pelo PMDB e desde então conquistou cinco mandatos no ninho emedebista.

As declarações foram dadas em entrevista ao Jornal da Fan, desta terça-feira, 28. Recentemente, Garibalde perdeu o comando do Diretório Municipal de Aracaju para Jackson Barreto. O oficialização acontece no próximo dia 30. Deste fato Garibaldi soube pela imprensa. “Um deputado com 20 anos de partido, com uma atuação marcante em Aracaju saber desse fato pela imprensa é algo que não compreendo até hoje”, disse.

Garibalde afirmou que a forma como foi tratado não foi digna de um parlamentar com forte base em Aracaju e com mais de 20 anos de partido. Para o deputado, saber pela mídia que deixaria o comando do MDB-Aracaju foi uma forma de desprestígio e falta de respeito por parte da cúpula que hoje comanda o partido em Sergipe.

“Devedores de atenção” – Dois prefeitos também se encontram na lista de “devedores de atenção” do deputado estadual Garibalde Mendonça. O primeiro é o prefeito de São Cristóvão, Marcos Santana (MDB), que apoiou Francisco Gualberto, do PT, em detrimento a Garibalde, sendo que em 2016 Gualberto estava em outro palanque e Garibalde na campanha de Marcos Santana.

Edvaldo Nogueira (PCdoB) completa a lista. Segundo Garibalde, o comportamento do prefeito de Aracaju é de quem não quer mais seu apoio. “Após a mudança de comando da Sema, eu entendi, recusei a diretoria da Fundat e Edvaldo ficou de me ligar para conversarmos. Essa ligação não existiu, ele viajou e não ligou, acho que não precisa mais do apoio de Garibalde”, criticou.

Majoritário – Para Garibalde, o MDB deveria ter postura de partido grande e ter candidatura própria em Aracaju. “Um partido que quer ser grande tem que ter candidaturas majoritárias. Veja o que o PT está fazendo, o MDB não deveria ter anunciado de cara apoio à reeleição de Edvaldo”, opinou o deputado, que revelou deixar seu nome à disposição, caso o partido pensasse em candidatura em Aracaju.

Durante a entrevista, Garibalde falou também sobre sua atuação na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), comemorou o trabalho de revisão de territórios feito em Sergipe e Bahia e interagiu com ouvintes, respondendo a diversos questionamentos, que giraram em torno da sua saída do MDB e de candidatura em 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *